terça-feira, 25 de agosto de 2015

A agonia dos refugiados e migrantes


Hoje o principal produto das guerras, além da destruição, é o grande número de refugiados. A situação dos refugiados nos seus próprios países é precária e insegura.


As motivações para existirem guerras são:

Poder - grupos políticos ou disputas envolvendo grandes potências pela liderança de uma região ou do mundo.

Estratégia - necessidade de base militar para dominar um outro inimigo.

Economia e riqueza - a maior parte, senão a totalidade das guerras envolvem motivações econômicas.

Imposição de ideais - esse tipo, mais amplo, é grado tanto por fatores isolados (religião, política ou economia) ou pelo simples fato de considerarem-se superiores aos outros, de grupos que consideram as características pessoais como sendo perfeitas, considerando todas as outras obsoletas. Aqui pode-se citar os holocaustos bibliográficos.

Etnia e religião - podem ocorrer em conjunto ou separadamente. Conflitos justificados por rivalidades étnicas e religiosas são do tipo mais antigo. O apelo étnico e religioso "justifica" o conflito como um dever histórico e o passado "fundamenta" a guerra do presente. Este tipo geralmente gera abusos, como o extermínio de populações inteiras (etnocídios e genocídios).

Classe social - algumas das guerras revolucionárias são consideradas como tendo como sua causa principal o confronto entre classes sociais (Revolução Francesa, Revolução Gloriosa ou na Revolução Russa).

E os responsáveis pelas guerras, pagam por tê-las iniciado e mantido? Pela quantidade de imigrantes ilegais e refugiados que existem atualmente, a única respostas é não. Não, eles raramente perdem seus cargos ou são condenados Bashar al-Assad é um exemplo.

Conflitos e regimes ditatoriais na África e no Oriente Médio têm feito aumentar o fluxo de imigrantes ilegais que tentam chegar à Europa para recomeçarem suas vidas. 


A maioria dos que se arriscam a realizar a perigosa travessia do Mediterrâneo vêm de países da África subsaariana, como Senegal, Eritreia e Somália. 

Nos últimos dias aumentou consideravelmente o fluxo de refugiados afetados por conflitos na Síria, no Iraque e no Afeganistão.

24 de agosto de 2015, 9 mil chegaram à Miratovac, na Sérvia. Esperam estar chegando ao fim de uma viagem longa e desesperada, que na maior parte dos casos começou na Síria, o seu país dilacerado pela guerra.

© EPA 


© Foto: Arquivo Reuters - 2


Centenas de imigrantes tentam entrar em um vagão com destino à Sérvia, na estação de Gevgelija, Macedônia. Muitos desejam chegar à Alemanha.
© Foto UOL 


© SAKIS MITROLIDIS/AFP


© YANNIS BEHRAKIS/REUTERS


Estas crianças ficaram separadas da família no meio da confusão na fronteira na Macedônia.
elfandarilha© OGNEN TEOFILOVSKI/REUTERS 


© MARKO DJURICA/REUTERS


Imigrantes pulam cerca da fronteira entre a Grécia e a Macedônia. A polícia da Macedônia havia reforçado o controle para tentar parar o acesso.
© Foto UOL





“A fé é uma das forças pelas quais os homens vivem, e a sua ausência total significa colapso!” - William James -


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo